Artigos

Vivemos uma democracia… será?

Escrito por Luiz Carlos Leitão

Período eleitoral acaba por se tornar um momento interessante. Fico observando, curioso, a conduta de alguns eleitores específicos e vendo, principalmente nas redes sociais, qual o tipo de comportamento de cada um.

Confesso que fico impressionado com a maioria das posturas, pois invariavelmente, se perde o senso de responsabilidade. Via de regra não vejo muita gente demonstrando os pontos positivos e os porquês do voto em seu candidato. Vejo mais agressões e comparações absurdas, baseadas em disse-me-disse e factoides, que efetivamente, não aprimoram o processo eleitoral. Assusta também, o fato de se ignorar as relações íntimas de candidatos com corruptos, naquela já conhecida promiscuidade política. – “Ah! Está provado, mas também, todos são corruptos. Ele rouba mas faz.” – Nossa! Acho isso muita inconsequência.

Fatos ainda não comprovados e sentenciados na justiça não deveriam servir de argumento pra ninguém, penso ser justo. Porém, situações irregulares, já comprovadas na justiça, deveriam nortear nosso pensamento. É inconcebível, fatos já condenados legalmente, serem ignorados, alicerçados pura e simplesmente por paixão eleitoral, naquele raciocínio fácil de que o meu partido é o “X”, então tenho que votar nele, independente das circunstâncias. Na verdade não deveria interessar o partido político, pois hoje não existem mais programas e ideologias específicas. Tudo é conveniência e acordos. Deveríamos valorizar o candidato. Se acreditamos ser bom para o País, votamos nele. Fez porcaria, a lei deverá imperar. Não interessa se é amigo. Eu, seguramente, já acertei e já errei nas minhas escolhas, mas nunca deixei de participar e buscar o melhor sempre.

Creio ser uma boa postura, própria de regimes democráticos como o nosso, certo? Haha! Certo nada. Conseguimos discutir política, religião e futebol sem que acabe em briga? Não né? Então que tipo de democracia é essa que dizemos viver? Tudo hoje tem se dividido em dois polos: os meus e os inimigos. Isso me lembra a frase de um amigo político: “democracia é quando eu mando e você obedece. Quando você manda e eu tenho que obedecer, aí é ditadura.”

E assim vamos seguindo. Paixões ensandecidas atropelando a razão, corrupção que não acaba mais e um país, dito do futuro, que não desabrocha nunca. Mas não dá pra desistir da luta né?

Por isso, simbora galera, preparar para votar escolhendo bem nossos representantes, dia 05 está aí.

×