Artigos

Vivemos uma Democracia? Nada… Hipocrisia Geral

Luiz Carlos Leitão

Os acontecimentos políticos e tudo aquilo referente à esfera penal demonstram claramente o momento histórico que estamos vivendo e floresce inequivocamente como é o povo brasileiro.

Uma enxurrada de lama no poder legislativo colocando à mostra as vísceras de um poder totalmente corrompido e de relações espúrias com a sociedade civil organizada. O poder judiciário sendo exposto também em suas relações promíscuas com o poder, seja estatal ou privado. Super salários, ligações de índole duvidosa, decisões viciadas e com interpretações que causam horror a qualquer legalista minimamente conhecedor dos princípios estabelecidos naquela que deveria ser nosso guia maior, a Constituição Federal. E o Poder Executivo refém do balcão de negócios, necessário para poder pilotar nossa combalida Nação.

Do outro lado temos a querida população brasileira, totalmente honesta. Honesta? Honesta, mas nem tanto, pois no seu dia-a-dia comete as mais variadas formas de corrupção, aceita o “rouba mas faz”, tem bandido de preferência e vota no ficha suja. Mas se honestidade aqui é relativa, temos uma população que deseja a todo custo ter mais educação. Só que não. Basta entrar em nossas salas de aula. O desrespeito, a preguiça e a falta de foco são desanimadoras. Bem, ao menos é uma população trabalhadora, dedicada. Hummm. Não muito. O desejo por aposentadoria prematura, carga horária de trabalho diminuída, mais férias e alegria pela quantidade de feriados demonstram uma triste realidade.

Estas questões batem na minha cabeça o tempo todo e acabo não conseguindo imaginar que o brasileiro seja democrata, mas sim que “é” ou “está sendo” hipócrita.
Pois acredito que temos que defender o negro, mas também precisamos defender o branco, é obrigação defendermos o pobre, mas também devemos cuidar dos mais abastados, necessário se faz a defesa da diversidade de gênero, mas é imperioso defendermos também os preceitos básicos das entidades tradicionais que tem princípios divergentes. Enfim, importantíssimo, necessário e obrigatório partirmos para a defesa de nossos direitos, mas igualmente valoroso seria lutarmos pelo cumprimento de nossas obrigações. Acredito que aí está a falha. Nesse ponto deixamos de ser democratas e passamos a ser hipócritas.

Enquanto estivermos defendendo autoridades corruptas porque “são do meu Lado”, cobrando posturas que não somos capazes de realizar, furando fila, sujando a estrada, dando agrados para sermos atendidos prioritariamente em detrimento de outros, sonegando impostos, pedindo opinião na fila da urna para sabermos em quem votar, e etc… etc… etc…, absolutamente nada do que estamos vivendo hoje vai mudar.

Evidentemente que estas conclusões eu cheguei após analisar, dentro de meu espectro pessoal de alcance, o que julguei como sendo pensamentos e atitudes generalizadas. Contudo, antes que alguém se ofenda, estou convicto que há forte exceção a tudo isso e você, que está lendo agora, pode estar incluso em uma delas.

Naturalmente há pessoas melhor focadas e com verdadeiro espírito democrático e de justiça que queiram um tratamento isonômico a todos. Mas, igualitário em todos os níveis, independente de ser benéfico ou prejudicial a mim, a meus amigos, a meus familiares ou ao grupo profissional ao qual pertenço.

Também sei que em todas as funções e profissões citadas, possuem pessoas verdadeiramente republicanas, mas reforço minha visão, acredito que estas são exceção à regra.

Do mais, pense, analise, concorde ou discorde de mim, nas não perca o espírito democrático, aceite opiniões divergentes e nunca, mas nunca mesmo, fique indiferente.

×