Artigos

Lula Deixou de Fazer Diferente

Luiz Carlos Leitão

Puxando um pouco pela memória, consigo lembrar quando o candidato Luiz Inácio Lula da Silva denunciava José Sarney, Antônio Carlos Magalhães, Itamar Franco, Fernando Henrique Cardoso, Fernando Collor de Melo, Paulo Salim Maluf e companhia. Confesso que ele não me convencia, mas com esse discurso iludiu a maioria do povo brasileiro que deu a ele a oportunidade de governar o país.

Já investido do cargo de Presidente da República Federativa do Brasil teve a oportunidade de solicitar a investigação de todos os crimes que denunciava como candidato. Foi o que fez? Nada. Se aliou a boa parte de seus antigos denunciados, obrigando, inclusive, que muitos correligionários acabassem por deixar o Partido dos Trabalhadores. Ficou íntimo de corruptos de vários partidos e passou a montar uma verdadeira quadrilha especializada em achacar os cofres públicos. Trouxe consigo Michel Temer, Eduardo Cunha, Palocci, José Dirceu, Dilma Rousseff, Sérgio Cabral e um bando de corruptos que tomaram conta da máquina estatal. Manchou sua biografia e entra para a história como um dos líderes mais corruptos que o Brasil já teve.

Sua pena hoje, do que foi julgado, atinge 12 anos e um mês de reclusão, havendo ainda mais seis processos sob investigação.

Luiz Inácio, uma das maiores lideranças construídas em nosso país, errou ao fazer igual aos seus antigos desafetos. Esqueceu suas raízes, suas origens humildes e se entregou a um projeto de poder que hoje o destruiu.

Errou ao criar o mensalão, ao fomentar o petrolão, ao escolher um substituto sem a estatura necessária a um país como o Brasil. Optou pela incompetência, pelo aparelhamento do Estado, pela arrogância de abusar de sua popularidade para emplacar Dilma Rousseff.

Errou ao deixar o poder e a glória lhe subirem à cabeça. Errou em Santo André, no São Francisco, no Rio de Janeiro, em Atibaia, no Guarujá, em Brasília. Errou na presunção de não ter ninguém à altura de seu próprio brilho. Errou quando se equiparou em honestidade a Jesus Cristo. Errou quando disse que nada sabia, quando cinicamente mentia e transferiu a culpa pra gente que não podia mais se defender.

Errou quando foi incapaz de reconhecer um erro sequer, seu ou de seu partido. Dos dólares na cueca, das reformas de imóveis, dos valores bilionários de palestras que nunca deu, do gênio empreendedor de seu filho, da quadrilha de achacadores dos cofres públicos dos quais “nunca ouviu falar”.

Errou ao se achar verdadeiramente “o cara”, errou no excesso de auto vitimização! Errou ao elogiar Hugo Chaves, Evo Morales, Nicolas Maduro. Errou com os companheiros Dirceu, Palocci, Delcídio, Vaccari, Vargas, Geddel.

De marola em marola transformou seu tempo no governo em um mar de lama, recheado por atos nojentos de corrupção. Com seus tentáculos atingiu praticamente todas as esferas de seu governo. E embora o fanatismo ideológico de uns, a simplicidade e ignorância de alguns, o ego super inflado de outros e o interesse de tantos ainda tentem lhe absolver, Lula caiu nas garras da lei e acaba por ser merecedor em cumprir a pena que lhe foi imposta.

No auge de sua arrogância e sanha pelo poder, Luiz Inácio conseguiu destruir o Lula.
E ao destruir o Lula aniquilou uma das mais importantes militâncias políticas que um partido já teve neste país.

Uma militância legítima, espontânea e aguerrida, muito diferente da que Lula criou ao longo de seu tempo no poder com gente paga a base de pão e mortadela, alguns alienados que acreditam na teoria da conspiração ao defensor dos pobres, além de transformar ou tentar transformar o Brasil numa grande república sindicalista.

Mas Lula ainda erra. Erra quando manda seus seguidores queimarem pneus, invadirem imóveis, pararem rodovias, ameaçarem a imprensa, desqualificarem a justiça, ignorar e excluir quem dele discorda. Erra quando coloca seus fiéis escudeiros, também envolvidos em atos de corrupção, a espalharem mentiras pelo mundo, dizendo que é um prisioneiro político, que houve um golpe de estado, que foi o melhor presidente que o Brasil já teve, que não há provas contra ele e etc…

Lula erra ao espalhar o ódio, a intolerância, o desrespeito às leis e a divisão do país.

Quem sabe, em sua arrogância insana, Lula até se sinta feliz, pois transformou seu antigo partido em uma seita, que o defende e o idolatra sobre o mantra de que “foi golpe, não há Provas, é perseguição política”. Afinal, como ele mesmo sustentou em seu discurso antes da prisão, ele não é mais uma pessoa, ele agora é uma ideia.

×